MANUAL DE CONDUTA

Esse manual visa instruir todos os pilotos participantes sobre sua postura dentro da liga.

Conceitos:

  • Lealdade: Consiste na execução da condução limpa e no respeito ao adversário. Jogo limpo.
  • Direção Defensiva: É a condução que prioriza acima de tudo, os carros à salvo na pista. São as atitudes que nos devem fazer pensar duas vezes antes de tomar, de tentar uma ultrapassagem arriscada, que nos faz, após um erro grave, voltar a pista calmamente para não causar acidentes, devolver uma posição após um toque causado por um erro, entre outras.
  • Consciência: Um bom piloto é aquele que conhece as regras, conhece as pistas e o carro que está disputando um campeonato, sabe como proceder, avalia o momento certo de executar uma manobra, sabe como dividir uma curva, como defender sua posição e sabe o momento em que deve deixar o adversário passar a sua frente, pois poderá tentar recuperar-se mais adiante.
  • Traçado: É a linha imaginária que normalmente representa o traçado ideal para a pista. Nos simuladores, é normalmente representada por uma ‘linha de condução’, que guia o piloto. Numa situação real de corrida, não temos a linha como nos games. O traçado pode também ser representado pela parte que encontra-se emborrachada, permitindo maior aderência. Na grande maioria dos casos, é a melhor opção para se conduzir. Importante destacar que o traçado nunca se aproveita de trechos de fora da pista, mesmo que estes signifiquem ganhar tempo.
  • Relacionamento: Buscamos o respeito mútuo acima de tudo. Temos pilotos de todos os níveis técnicos nos campeonatos, de todas as classes sociais e de todas as maneiras de agir possíveis, portanto, estabelecendo um relacionamento mínimo de respeito, estaremos sempre em um ambiente saudável, sem stress já que a grande maioria está buscando diversão, mas também um ambiente competitivo sem desgastes, sem crises, discussões e ressentimentos pessoais.

Regras e Orientações:

  • Boxes: Os pilotos devem prestar atenção na entrada e saída dos boxes, procurando não dividir o trecho do pit-lane com um piloto que venha conduzindo no traçado do circuito, tanto em sessões de classificação como de corrida oficial.
  • Retorno à pista: Em alguns casos cometeremos erros graves que nos farão “rodar”, sair da pista ou espalhar. Em outros casos, acabaremos envolvidos em algum incidente. Mas sempre devemos agir com calma e paciência no retorno a pista, sempre procurando verificar a atual condição do trecho, do fluxo de carros e não gerar maiores incidentes.
  • Retorno ao traçado: Em muitos casos, sobretudo naqueles que estamos pressionando ou sendo pressionados por um adversário, tendemos a mudar o nosso traçado, seja buscando posição, seja defendendo-a. Em alguns destes casos nos equivocamos e deixamos uma brecha para o adversário passar. Nestes casos é extremamente recomendável que se tenha o bom senso e não tente consertar o traçado colocando seu carro à frente do adversário de qualquer maneira. Como regra universal, não se deve mudar de direção mais de uma vez na defesa de posição.
  • Danos no veículo: No caso de avarias no veículo que causem a lentidão do mesmo, o piloto deve conduzir pela parte de fora do traçado ideal até a chegada aos boxes e permitir a ultrapassagem de seus adversários mais rápidos. Caso o piloto precise abandonar a corrida, deve encostar o carro (se puder) numa parte segura e depois acessar o menu e se retirar da corrida.
  • Largada: Um dos pontos mais críticos das corridas, em que normalmente ocorre o maior número de acidentes. Nada é mais prejudicial para um piloto do que avariar o carro ou ser jogado para fora da pista. Pense que todos dedicaram boas horas em treinos e preparação e é realmente frustrante quando sua corrida não chega nem ao final da primeira volta. Todos sabem muito bem que corridas não se decidem (em sua grande maioria) na primeira curva ou volta.
  • Falhas do Software: Apesar de excelentes, os atuais simuladores não são perfeitos. Algumas falhas, entretanto, podem ser utilizadas como brechas e gerar benefícios e/ou vantagens ilícitas nas sessões oficiais. É extremamente proibida a utilização destas falhas em benefício próprio, inclusive, cortar caminho em alguns trechos do circuito. Como regra universal também, sempre devemos manter ao menos 2 rodas dentro da pista (zebra não é pista, o que delimita a pista, são as linhas brancas as suas margens).
  • Retardatário: O piloto que estiver prestes a levar uma volta de seu adversário deve ter em mente de que aquele não é mais seu adversário. O piloto que irá ultrapassar deve esperar o momento certo para realizar a passagem e o piloto que será ultrapassado deve facilitar a mesma, assim que tiver a oportunidade. Nem sempre as corridas acontecem como esperamos, mas temos que ter novamente paciência e calma para agir de forma correta e ainda assim tentar salvar o máximo de pontos possíveis, sem atrapalhar os adversários. E no caso de estarmos dando volta em colegas que tiveram problemas ou desempenho abaixo do nosso, devemos ser pacientes e entender a situação, escolher o melhor momento e com parcimônia executar a manobra de forma segura e respeitando o adversário, sem escorar, tocar ou qualquer outra manobra agressiva demais.
  • Ultrapassagem: Novamente caímos num ponto de conhecimento de todos, mas que infelizmente na prática nem sempre se concretiza, nem sempre se realiza, nem sempre se respeita. Apesar da torcida gostar de acidentes, batidas e um nível extra de agressividade dos pilotos, nós temos que ter o máximo de bom senso possível ao realizar manobras de ultrapassagem. Queremos um esporte limpo, queremos que nosso adversário seja limpo conosco, então também precisamos ser limpos com ele. Ultrapassagens forçadas, mergulhos inesperados e em alguns casos um porta-a-porta, fazem parte do jogo, fazem parte das corridas, mas temos que medir sempre ao máximo as consequências de nossas manobras e principalmente pensa-las e estuda-las muito bem antes de executar, para evitar toques, batidas e situações embaraçosas e constrangedoras entre pilotos. Queremos um esporte reconhecido, limpo e com credibilidade, para isso, precisamos agir como queremos ser vistos e precisamos agir com o máximo de profissionalismo possível. Treinos preliminares e simulados ajudam bastante na preparação para as corridas e possíveis situações a serem vividas dentro das corridas, que com certeza vão ajudar a evitar acidentes e incidentes.

Condutas em Geral:

  • Procure manter as decisões da equipe dentro da equipe, discutidas e amadurecidas dentro da equipe antes de torna-las públicas ou remeter a uma determinada liga, seja qual for a situação envolvida.
  • Nenhum conflito de pista entre pilotos deve ir para a mídia (entrevistas, cabine de premiação de pódio em etapas, chat das transmissões, etc) manifestar qualquer discussão ou acusação contra outro piloto, equipe, direção de prova ou organização de liga.
  • Devemos manter o bom relacionamento, mesmo nos casos de rivalidade entre pilotos e/ou equipes nos canais virtuais pessoal, da equipe ou das ligas. Não deverá haver provocação ou comentários agressivos a pilotos e equipes participantes.
  • As sugestões e/ou reclamações para com as ligas devem ser feita de forma direta, via mensagem em nossos canais de comunicação, sem exposição nos meios públicos de comunicação da liga. Também no caso de conflito com pilotos de outras equipes, sempre através dos chefes de equipe, sem manifestações públicas que tragam exposição dos envolvidos, ataques e acusações.
  • Não recomendamos aos pilotos divulgarem em mídias sociais e espaços públicos das ligas o parecer individual sobre incidentes e outros fatos que decorreram em uma corrida ou evento. Devemos sempre fazer de forma direta a liga ou a outra equipe/piloto ou através dos chefes de equipe. Todo piloto pode criar e divulgar textos sobre as corridas e eventos, mas sempre prezando pelo bom senso e respeito, não citando ou deixando acusações subentendidas a outros pilotos ou equipes. Esperamos sempre o bom convívio e respeito entre os pilotos e equipes, dentro e fora das pistas, sempre com muita paciência, calma, tranquilidade e um mínimo de atitude profissional possível, pois se é assim que queremos ser vistos e reconhecidos (enquanto automobilismo virtual), é assim que devemos agir.

Texto adaptado a partir do Manual de Conduta de Pilotos, da Associação Brasileira de Equipes de Automobilismo Virtual – ABRAV.